A filosofia como uma ciêcia da natureza humana?

 Rene Magritte, Bélgica (1898/1967) Imagem do quadro “A arte de viver” Quando Hume começou a escrever o “Tratado sobre a Natureza humana” , já tinha mergulhado nas obras dos filósofos modernos tendo-as achado perturbadoras porque cometiam os mesmos erros que os antigos cometiam, quando pretendiam evitá-los. Hume pergunta por que os filósofos não foram capazesContinuar lendo “A filosofia como uma ciêcia da natureza humana?”

Fotografia Matt Black O mero filósofo é geralmente uma personalidade pouco admissível no mundo, pois supõe -se que ele em nada contribui para o benefício ou para o prazer da sociedade, porquanto vive distante de toda comunicação com os homens e envolto em princípios e noções igualmente distantes da sua compreensão. Por outro lado, oContinuar lendo

EVENTOS ACADÊMICOS: Lançamento de Festschrift em homenagem ao Prof. Ivan Domingues

A Editora Unisinos, autores e organizadores convidam para o lançamento do livro Minas e horizontes do pensamento: escritos em homenagem a Ivan Domingues, a ser realizado no dia 29 de outubro, às 19h, no canal do YouTube – Memória Filosofia UFMG: https://youtu.be/aG4qLES7esU e na página do Facebook: www.facebook.com/memoria.filosofiaUFMG/. Organizado por Anna Carozzi (UFMG), Carlos Ratton (UFMG), Helder Carvalho (UFPI) e Jelson Oliveira (PUCPR), o livro contaContinuar lendo “EVENTOS ACADÊMICOS: Lançamento de Festschrift em homenagem ao Prof. Ivan Domingues”

Contra o relativismo no conhecimento

  Dança, uma composição sem objeto de Alexander Rodchenko, 1915  A 22 de outubro de 1996, The New York Times publicou uma inusitada matéria de primeira página. Intitulada “Indian Tribe’s Creationists Thwart Archeologists” (“Criacionistas indígenas tribais contradizem arqueólogos”), descrevia um conflito que surgira entre duas opiniões sobre as origens das populações nativas americanas. Segundo aContinuar lendo “Contra o relativismo no conhecimento”

A civilidade ou como começar o novo ano.

A civilidade é uma questão de costumes, etiqueta, urbanidade, ritos informais que facilitam as nossas interacções e, dessa forma, nos fornecem modos de nos tratarmos mutuamente com consideração.Cria espaço social e psicológico para as pessoas viverem as suas vidas e fazerem as suas escolhas. Os jovens que cospem para o passeio e praguejam nos autocarros revelamContinuar lendo “A civilidade ou como começar o novo ano.”

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora